Post

Dor constante no joelho exige um diagnóstico correto

Excesso de uso da articulação pode ser uma das causas, porém, cada caso é único e a dor crônica precisa ser avaliada por um médico especialista.

19/10/2021 11:46:41
Twitter     Facebook     Google     Linkedin
Dor constante no joelho exige um diagnóstico correto

Dor constante no joelho é sinal de alguma lesão crônica e que precisa de um diagnóstico bem detalhado para a indicação do melhor tratamento. “Com o diagnóstico em mãos e a partir do histórico de atividades listado pelo próprio paciente, o especialista é capaz de sugerir o melhor processo de cura”, é o que afirma Dr. Paulo Cunha, ortopedista especialista em joelho da Clínica Orthop em Ribeirão Preto/SP.

O especialista ainda afirma que o mais importante do que somente eliminar a dor que incomoda a muito tempo é descobrir a sua causa e fazer um tratamento de prevenção.

Cada caso é único

Muitos dos pacientes atendidos na clínica Orthop pela equipe de ortopedistas especialistas, querem uma solução pronta para os seus casos: querem seguir um tratamento que funcionou com o amigo, se auto medicar ou mesmo seguir sugestões de pesquisas na internet ou revistas de conhecimentos genéricos.

“Dependendo de cada caso é um tratamento específico”, afirma Dr. Paulo. “A fisioterapia, por exemplo, pode ser a solução para um paciente e pode não ser para outro, assim como cirurgias são indicadas para alguns pacientes que podem ter casos parecidos com outros, mas que não foi indicado o procedimento. Por isso que o atendimento presencial com o médico, o exame clínico, a conversa com o especialista e um diagnóstico certeiro são essenciais”, continua.

Um dos pontos de atenção indicado pelo doutor é justamente o que se conhece como “over use”, que traduzindo significa excesso de uso. “Quando a intensidade das atividades muda de forma brusca, se tornando maior e saindo do limite ao qual o joelho está acostumado, por exemplo, com certeza vai gerar sobrecarga na articulação e consequentemente dor”.

Mudança de terreno também é outro ponto que deve ser considerado: corrida no asfalto versus corrida de aventura ou o corpo acostumado a treinar na grama e depois passa para atividades na areia, precisam de uma adaptação muscular antecipada. “São dois momentos muito comuns que a dor passa a ser incomoda justamente porque o corpo não está adaptado com os excessos”, afirma.

Uso de compressas de gelo

O mais comum das indicações feita por amigos e tratamentos de internet é a aplicação de compressas de gelo sobre a região dolorida. “O gelo realmente é um ótimo aliado para dores no joelho, uma vez que inibe o inchaço – que gera dor! -, inibe reações inflamatórias, diminui o risco de crescer um derrame e é de certa forma analgésico”, afirma o especialista.

A indicação, porém, é que a compressa seja feita por no mínimo 20 minutos e no máximo 30: “depois deste prazo, se transforma em vasodilatador e passa a não ser mais interessante para determinadas lesões”.

A atenção deve ser redobrada, porém, no caso de inchaço, que pode indicar um trauma mais sério ou o rompimento em algum elemento da articulação: “inchaço não é um bom sinal e o médico deve ser procurado o mais rápido possível”, alerta Dr. Paulo Cunha. “O joelho é revestido por uma membrada que se rompida, vai secretar líquido pela região. Se há rompimento ligamentar, por exemplo, o inchaço é promovido pelo excesso de sangue na região”, explica.

Assim que chega ao médico, o procedimento comum é uma conversa sobre a lesão em cima, principais reclamações, histórico do paciente, procedido de um exame físico e, se necessário, a indicação de exames mais minuciosos, como radiografia ou ressonância magnética. Com a ressonância, por exemplo, é possível avaliar a estrutura óssea, cartilagem, meniscos e ligamentos, além de partes moles, oferecendo mais informações para as tomadas de decisões. 



Comentários