Post

O que é fascite plantar?

A fascite plantar é uma inflamação na fáscia plantar, tecido que se estende na sola do pé ligando o calcanhar aos dedos. Trata-se de uma condição comum e dolorosa desencadeada pelo estresse e esforço excessivo na região.

20/07/2019 15:32:45
Twitter     Facebook     Google     Linkedin
O que é fascite plantar?

           A fascite plantar é uma inflamação na fáscia plantar, tecido que se estende na sola do pé ligando o calcanhar aos dedos. Trata-se de uma condição comum e dolorosa desencadeada pelo estresse e esforço excessivo na região.

            A doença geralmente causa dor na sola do pé, desconforto ao caminhar ou correr e sensação de sensibilidade, principalmente na primeira pisada do dia. A fascite plantar é uma das patologias mais comuns que atingem o pé e apresenta um empecilho ao paciente para realização de qualquer atividade que envolva movimentação.


Fascite plantar e o esporão de calcâneo são a mesma coisa?

Por se apresentarem em regiões semelhantes, ambas doenças são frequentemente confundidas, no entanto, não são a mesma coisa. Enquanto a fascite plantar é a inflamação na sola do pé, o esporão de calcâneo é uma protuberância óssea que cresce na base do osso do calcâneo, perto do local onde a fáscia plantar se prende.

            Os dois possuem causas similares, através de múltiplos traumas ou sobrecarga na região dos pés, porém se diferem no diagnóstico. Os testes realizados para fascite plantar englobam análise do histórico do paciente e procedimentos que provocam dor no local atingido pela inflamação. Já o esporão de calcâneo somente deve ser diagnosticado através de exames de imagem, como, uma radiografia em perfil do retropé, pois sua presença pode ou não manifestar sintomas.

           O esporão e a fascite plantar podem ocorrer separadamente ou em conjunto. Somente 5% dos pacientes com esporão de calcâneo passam a apresentar quadros de dor e inflamação na sola do pé.

           Normalmente, a doença ocorre só em um pé, mas pode ser bilateral. As causas da fascite plantar podem estar relacionadas com as seguintes situações:

Salto alto

Uso contínuo do salto alto costuma levar à diminuição da mobilidade do tendão de Aquiles. Ao encurtar esse músculo, que liga a panturrilha à região do tornozelo, favorece a fascite plantar.

Esportes

Esforço dos pés em treinos pesados e corridas de longa distância, principalmente em superfícies duras, como asfalto, pressionam as solas dos pés. Corredores são atingidos com frequência pela inflamação, por conta de não utilizarem calçados adequados para se exercitar ou pelo uso prolongado do mesmo tênis.

 

Alterações genéticas

Encurtamento da musculatura posterior da perna ou tensões em outras partes do corpo, como um desnivelamento de quadril, podem inflamar a fáscia plantar e gerar a doença.

 

            Os sintomas da fascite plantar são os resultados do espessamento da fáscia, a presença de fibrose (aumento das fibras em um tecido) e calcificação do tecido. Por isso, as queixas mais comuns são:

*Dor no calcanhar, sola do pé e tornozelo;

*Dor ao caminhar nas pontas dos pés;

*Sensação de queimação na sola do pé;

*Sensibilidade ao apalpar a sola ou calcanhar inflamado;

*Inchaço, rigidez, tensão e vermelhidão no pé.

           

            O diagnóstico pode ser feito pelo ortopedista. Os exames são realizados a partir da análise dos sintomas do paciente e testes específicos que provocam dor no local atingido pela inflamação.

        O médico deve concentrar-se em descobrir a causa da fascite plantar e assim, iniciar com o paciente o tratamento adequado para regredir a inflamação e prevenir seu retorno.

             É realizado uma investigação do histórico do paciente, avaliando as condições que fica exposto no ambiente de trabalho e ao realizar esportes. Também é necessário analisar o formato do arco do pé do indivíduo e se os sapatos que costumam utilizar estão adequados para as atividades que realizam.

        Exames de imagem, como radiografias, não são capazes de identificar a fascite plantar, mas o médico especialista pode requisitar outros exames, como a ultrassonografia e a Ressonância Nuclear Magnética, para avaliar o grau de acometimento da fáscia plantar e descartar outras patologias que provocam sintomas semelhantes, por exemplo, a fratura de estresse do calcâneo, comum em corredores.

Fascite plantar tem cura? Como é o tratamento?

Fascite plantar tem cura, mas o tratamento é lento e depende do paciente realizá-lo corretamente para não esforçar mais a fáscia. Existem várias opções de tratamento, as quais devem ser realizadas em conjunto para se obter um melhor resultado. Os métodos variam de procedimentos caseiros, mudança nos calçados, diminuição da sobrecarga, fisioterapia e, eventualmente, a utilização de remédios analgésicos ou anti-inflamatórios. O uso da infiltração com corticoides na fáscia plantar está cada vez mais em desuso, pela dor que provoca e pelos efeitos colaterais locais que proporciona.

        A visita ao médico que se dedica ao tratamento das patologias do pé e tornozelo poderá ajudar no esclarecimento da doença e na instituição do melhor tratamento para cada paciente.



Dr. Gustavo Maximiano e Dr. Rogério Bitar

Ortopedia e Traumatologia


Comentários