Post

Já ouviu falar em luxação patelar?

Conheça todos os detalhes dessa lesão comum no joelho.

26/09/2021 12:45:38
Twitter     Facebook     Google     Linkedin
Já ouviu falar em luxação patelar?

A patela é uma estrutura óssea, localizada na região anterior do joelho, que faz parte do mecanismo extensor e atua como uma roldana para facilitar e melhorar a força nos movimentos de extensão dessa articulação. A luxação patelar ocorre quando a patela se desloca para a parte lateral do joelho, causando dor aguda e intensa. 

Em alguns pacientes com alterações congênitas no mecanismo extensor do joelho, a patela se desloca e volta à posição normal frequentemente (até  mais que 1 vez por semana) e denomina-se “patela luxável”, com sintomas bem menos dolorosos que uma luxação aguda em um paciente com mecanismo extensor normal.


Quais os principais sintomas?

Dor aguda e intensa, inchaço e percebe-se a patela deslocada na parte lateral e que não volta à posição. Em um grande número de casos, é necessário algum tipo de anestesia para reduzir a luxação.

Na patela luxável, a dor é de menor intensidade e, na maioria dos casos, volta à sua posição normal ao estender o joelho.


Existe algum fator de risco?

A obesidade pode facilitar a luxação patelar pelo aumento da carga no joelho. Mas os principais fatores de risco são: a fraqueza da musculatura anterior das coxas (músculo quadríceps), e o modo de torção e intensidade da energia na hora do trauma.


Como é feito o diagnóstico?

Primeiro, é necessário analisar o histórico do mecanismo da torção do joelho e depois a intensidade da dor. Depois, observar o aspecto clínico da articulação (inchaço e alterações da anatomia quando comparados com o joelho contralateral). Por fim, o diagnóstico também pede uma radiografia no joelho.


Sobre o tratamento.

Quando a luxação ocorre, a patela é colocada na posição normal sob anestesia tipo sedação.

Recomenda-se o uso de imobilizador em extensão, de 3 a 4 semanas, com auxílio de exercícios isométricos da coxa.

Após esse período, começa-se uma reabilitação fisioterápica do joelho com orientação especializada. A maioria dos casos são resolvidos com este tipo de tratamento mais conservador. Esse tipo de tratamento tem uma maior porcentagem de sucesso quando feito no primeiro episódio de luxação.

Em casos sem sucesso após o tratamento conservador, quando a patela continua a deslocar com frequência, é necessário um tratamento cirúrgico para resolução definitiva do problema.


Como é a reabilitação pós-tratamento?

De forma geral, não é complexa. Recomenda-se uma série de exercícios para fortalecimento e, por isso, pode ser um pouco demorada, mas não difícil.

Quando o tratamento ocorre em luxações patelares agudas, com técnicas apenas de imobilização, a recuperação é mais rápida que em casos cirúrgicos.


-----------------------------------------------------------------------------------
Dr. Paulo Cunha.




Comentários