Post

Procedimentos minimamente invasivos podem curar dores nas costas crônicas

Endoscopia de Coluna é uma das cirurgias mais modernas e conservadoras

19/10/2021 12:59:12
Twitter     Facebook     Google     Linkedin
Procedimentos minimamente invasivos podem curar dores nas costas crônicas

Dor nas costas é a principal reclamação de pacientes em clínicas de ortopedia. De acordo com o Dr. Humberto Bortolo Neto, especialista em coluna da Clínica Orthop em Ribeirão Preto/SP, a maioria das reclamações são musculares, mas em caso de dores crônicas, procedimentos cirúrgicos podem ser indicados.

“Existem muitos tipos de cirurgias de coluna, mas o nosso foco é atuar com os procedimentos minimamente invasivos. Os benefícios são inúmeros, tanto para o paciente – que tem melhor e mais rápida recuperação - quanto para o corpo clínico”, afirma Dr. Humberto.

Para o tratamento de alguns desses casos de dor nas costas, existem alguns procedimentos cirúrgicos, conservadores, modernos e pouco invasivos que podem solucionar o problema, como por exemplo:

As dores crônicas são as persistentes e que duram além do período esperado para a cura. Alertam médicos e pacientes para o início de uma lesão ou complicação na região de dor.

Para o tratamento de alguns desses casos de dor nas costas, existem alguns procedimentos cirúrgicos, conservadores, modernos e pouco invasivos que podem solucionar o problema, como por exemplo:

Endoscopia de coluna

Indicada para o tratamento de hérnia de disco ou outros problemas relacionados à compressão dos nervos da coluna. Trata-se de um procedimento minimamente invasivo que utiliza uma câmara de alta resolução, introduzida na coluna através de uma incisão de cerca de 1 centímetro.

“O paciente recebe anestesia local e se mantém acordado durante o processo, tendo participação ativa informando sobre a localização exata da dor e o alívio após o tratamento da hérnia”, explica o especialista.

Outros benefícios da endoscopia de coluna incluem a menor chance do paciente contrair infecções ou outras complicações no corte, além de ter um sangramento menor. Também, por não ser anestesia geral, os riscos em pacientes hipertensos, problemas cardíacos e pulmonares são muito menores.

Esse procedimento, diferente do convencional, não lesiona a musculatura e articulações da coluna, agilizando a recuperação no pós-operatório. É uma ação rápida, com duração de no máximo uma hora e o paciente não precisa ficar internado, podendo sair no mesmo dia do hospital e possivelmente andando depois de algumas horas da cirurgia.

Radiofrequência Pulsada

É indicada para o controle da dor nos portadores de dor neuropática, hérnias de disco, compressões nervosas e doenças degenerativas. A radiofrequência pulsada é realizada no centro cirúrgico com anestesia local e o paciente também não precisa ficar internado.

Com incisões pequenas na pele, o cirurgião, guiado por um raio-x, encontra a localização exata da dor nas costas e insere agulhas contendo eletrodos, que receberão sinais do aparelho de radiofrequência. Os estímulos elétricos vão direto para o nervo inflamado e os pequenos choques incitam as células nervosas a pararem de enviar a informação de dor para o cérebro.

Ao final da sessão, o paciente fica em repouso na sala de recuperação e percebe o alívio imediato da lombalgia. No mesmo dia recebe autorização para ir pra casa. A indicação é mais um dia de repouso e depois seguir vida normal.

Bloqueio de dor

Este procedimento é também conhecido como infiltração na coluna, uma vez que a partir de agulhas são injetadas substâncias anestésicas e anti-inflamatórias na região da dor.

Realizada também em centro cirúrgico, com anestesia local e se necessário leve sedação. O cirurgião encontra o alvo e posiciona as agulhas a partir de um raio-x instantâneo e injeção de contraste.

Em uma ação minimamente invasiva, o Bloqueio da Dor trata o paciente de forma conservadora, amenizando as dores e diminuindo as limitações de movimentos.

Estas são algumas possibilidades para o tratamento de dores crônicas nas costas. Para dores agudas, causadas por má postura ou de forma pontual ao carregar peso, por exemplo, existem outras alternativas. Assim como com relação às fraturas ou doenças mais graves, que vão exigir procedimentos mais complexos.

“Esses procedimentos listados são modernos, seguros, com raríssimas complicações e altas taxas de recuperação, mas é importante ressaltar que todos eles são indicados para pacientes que não tiveram sucesso com outros tratamentos não invasivos, como fisioterapia, hidroterapia, pilates, RPG, além de repouso e medicação”, finaliza Dr. Humberto Bortolo Neto.



Comentários