Post

Os 3 esportes mais praticados no Brasil e as lesões mais comuns em cada modalidade

Os esportes mais praticados no Brasil são futebol, corrida/caminhada e vôlei, por isso, listamos as principais lesões destas modalidades.

18/06/2019 08:33:27
Twitter     Facebook     Google     Linkedin
Os 3 esportes mais praticados no Brasil e as lesões mais comuns em cada modalidade

Praticamente todos os dias se ouve nos noticiários esportivos lesões de atletas de diferentes modalidades. A alta intensidade dos treinos e competições costumam ser os principais motivos, além é claro de lesões causadas por movimentos repetitivos ou bruscos, pancadas e desequilíbrio.

Entre os esportistas amadores, as lesões são ainda mais recorrentes, uma vez que o acompanhamento de especialistas é menor, assim como momentos adequados de recuperação da musculatura. Também é comum o atleta amador e/ou de final de semana se auto medicar, esperar a dor passar por conta própria e nem sequer procurar um especialista para checar a lesão.

De acordo com a última pesquisa do IBGE sobre pratica esportiva, 51,4% dos brasileiros são adeptos de algum tipo de atividade física. Destes, as três modalidades preferidas são em ordem: futebol, corrida/caminhada e vôlei. Por este motivo, listamos as lesões mais comuns nesses três esportes. Acompanhe:

Futebol

O esporte mais praticado do país tem entre suas principais lesões a torção de tornozelo e a ruptura de ligamento no joelho.

A torção de tornozelo é o que popularmente se diz ‘virar o pé’ e pode ter três faixas de gravidade, sendo que a torção grau 1 o atleta consegue até mesmo se manter no jogo e faz uma recuperação ao longo da semana e o grau 3 exige cirurgia.

Os sintomas são edema e hematoma, dor, dificuldade em apoiar o pé no chão e queimação local. O tratamento depende do grau da lesão, mas de imediato é indicado a aplicação de gelo para diminuir o inchaço. Repouso e fisioterapia são indicações básicas em qualquer torção.

Já a ruptura de LCA – Ligamento Cruzado Anterior, a lesão de joelho mais comum na prática do futebol, tem o tratamento quase sempre cirúrgico, feito atualmente por artroscopia: um procedimento minimamente invasivo, que diminui os riscos de infecção, a perda de sangue como em uma cirurgia convencional, resguarda musculaturas e outras regiões moles do joelho e que devolve os movimentos do paciente com menor tempo de recuperação.

Outro benefício importante deste procedimento é o menor tempo para a realização da manobra e a possibilidade do paciente sair do hospital no mesmo dia, sem necessidade de internação.

Seguir as orientações do especialista são fundamentais para recuperação mais rápida no pós-cirúrgico. “O paciente sai do hospital com muletas. Depois de 20 dias da artroscopia, consegue andar, podendo pedalar, ir na academia, fazer hidroginástica e outras atividades de baixo impacto. Voltar a correr, somente depois de 4 meses e retornar ao futebol, depois de 6 meses”, explica.  

Corrida e caminhada

A praticidade da corrida e da caminhada fazem da modalidade o segundo esporte mais praticado no Brasil. As lesões que estão mais relacionadas com este exercício são a fascite plantar e a tendinite patelar.

A fascite plantar é uma inflamação na fáscia plantar, tecido que se estende na sola do pé ligando o calcanhar aos dedos. Trata-se de uma condição comum e dolorosa desencadeada pelo estresse e esforço excessivo na região. Temos um post específico sobre o assunto: o que é fascite plantar?

Já a tendinite patelar começa com um incomodo no joelho e se torna uma dor crônica com a evolução da lesão. O tratamento é a base de fisioterapia depois do diagnóstico correto. O uso de medicamentos também faz parte da recuperação.

Vôlei

Entorse no joelho é a lesão mais frequente no vôlei, modalidade de alto impacto com muitos saltos e pouso, exigindo equilíbrio e musculatura forte das pernas.  

Da mesma forma como a entorse de tornozelo, a de joelho é classificada também em três graus de gravidade, sendo o mais grave o rompimento total do ligamento. O tratamento mais comum para as lesões leves é o uso de gelo e repouso. Para as lesões medianas, inclui-se a fisioterapia. Já para a lesão de grau 3, é necessária a cirurgia.

Entre os membros superiores, a principal lesão no vôlei está nos ombros: “As lesões no ombro em jovens geralmente são causadas pelo esforço ou sobrecarga na articulação. Os danos mais comuns são luxações e lesão em ligamentos. O importante é identificar corretamente a lesão e seguir o tratamento recomendado é fundamental para a reabilitação”, comenta Dr. Cláudio Kawasaki, especialista em ombro e joelho que ainda reforça que uma lesão não curada corretamente pode ocasionar problemas a longo prazo, como artrose precoce.



Comentários